Tribo do Skate Entrevista: Felipe “Royal” Vergara

Para entender um pouco mais como um jovem entra no mundo do skate, o Tribo do skate foi entrevistar Felipe “Royal”, 20, um jovem skatista que nos falou um pouco das influências que teve no skate e como é ser um skatista.

Confira a entrevista completa:

Anúncios
Publicado em História do Skate | Deixe um comentário

MegaRampa

A MegaRampa surgiu nos Estados Unidos onde é chamada de Big Air(Grande Aereo) ela mede 105 metros de extensão e 27 metros de altura sendo a maior rampa do mundo.

A MegaRampa foi trazida ao Brasil pela primeira vez em 2008, foi montada no Sambódromo do Anhembi, essa foi a primeira vez que a rampa foi montada na América do Sul. O Brasileiro Bob Burnquist é bicampeão da MegaRampa. Bob foi um dos responsáveis por trazer a rampa ao Brasil.

Um pouco menor que o campo do Morumbi, a rampa faz com que os skatistas cheguem a velocidade de 70km/hora, os skatistas enceram a descida em uma outra rampa de 8 metros onde os skatistas chegam a 16 metros de altura.

É preciso muita coragem para encarar a rampa. O ponto mais alto da MegaRampa á 27 metros de altura o equivalente a um prédio de 9 nove andares e tem uma visão de meter medo em qualquer um. Mesmo os skatistas mais experientes as vezes acabam caindo. Para tentar amenizar os tombos o equipamento de segurança ganhou novas peças como coletes e cotoveleiras e joelheiras mais grossas.

É MegaRampa é um evento pra quem realmente gosta de esportes radicais e para quem decide encarar a rampa é um momento inesquecível.

Publicado em Campeonatos | Marcado com , , | 1 Comentário

Algumas personalidades

Dedicaremos este post a 3 personalidades do skate que merecem sempre serem lembradas e homenageadas.

Como já falamos de Tony Hawk no post anterior, agora vamos falar um pouquinho de Jay Adams, Tony Alva e Stacy Peralta.

Jay Adams (Santa Monica, Califórnia, 3 de fevereiro de 1961) é um dos integrantes do grupo original dos Z-Boys e é considerado um dos mais influentes skatistas de todos os tempos.

Nascido na Califórnia, quando adolescente em meados da década de 1970, era membro da Zephyr Skateboading Team e Zephyr Surf Team junto com Tony Alva e Stacy Peralta, outros dois grandes nomes para o esporte. Considerado como a fagulha do skate influenciou muito na maneira de como o esporte é hoje.

Jay é casado com Alisha Adams com quem tem uma filha, Venice. Ele também é pai de um garoto de sete anos.

Adams junto com seus amigos Tony Alva (que mais tarde viria criar a Alva Skates) e Stacy Peralta (que descobriu o talento de um garoto com doze anos de idade chamado Tony Hawk) descobriram o skate vertical durante uma seca que obrigou todos os moradores da Califórnia a secarem suas piscinas por causa do racionamento.

Dois bons filmes que retratam a história dos Z-Boys são Os Reis de Dogtown e Dogtown e Z-Boys.

Tony Alva (nascido em 1957 nos Estados Unidos) é um dos originais Z-Boys e um dos maiores skatistas de sempre.

O nível de agressividade que ele andava de skate estava em contraste com o estilo das manobras dos mais tradicionais skatistas. Alva e os outros Z-Boys devem ter sidos os primeiros a andarem em piscinas vazias. Mas, segundo Jay Adams, eles não são os primeiros. Jay diz que tal atitude já aconteceu nos anos 60, mas que eles são um dos primeiros, porque poucas pessoas fizeram isso nos anos 60. Alva é o responsável pela primeira manobra de aéreo gravada:frontside air. Esse foi o momento marcante em que o skate deixou de ser o surf nas ruas e virou um novo esporte. O Skate não teria sobrevivido sem essa invenção que o fez progredir. Alva é o protagonista do documentário gravado em Venice Beach sobre a cultura do skate: Dogtown and Z-Boys que foi transformado em ficção no filme Reis de Dogtown. Segundo Jay Adams, eles não foram os primeiros a invadir casas e usar piscinas como pista de skate. Jay afirma que essa atitude já aconteceu nos anos 60, mas acredita que eles são um dos primeiros também a praticarem este ato.

Com 19 anos, Alva criou sua própria companhia de skate, Alva Skates.

Tony Alva recentemente assinou um contrato de 3 anos com os sapatos Vans e é patrocinado pela Independent Trucks. Ele inclusive tem um relógio com seu nome feito pela Vestal.

Tony também tocou baixo na banda The Skoundrelz, que tinha os ex- Suicidal Tendencies Mike Dunnigan e Mike Ball como o ex-membro do Wasted Youth Dave Hurricane.

Stacy Peralta foi um dos lendarios Z-Boys de Dogtown e junto com Tony Alva e Jay Adamn ganharam o titulo de “Os Reis de Dogtown”.

Eles tinham 16 anos de idade quando começaram a revolucionar o skateboard em 1975 em Dogtown-Venice, California. Por volta de 1977 eles se separam da equipe de competição ZEPHYR, por volta dos anos 80/90 Stacy Peralta monta sua empresa Powel Peralta e patrocina Tony Hawk, na época com 14 anos de idade.

Tony Alva também monta sua empresa chamada Alva skateboards.

Jay Adams desiste de andar de skate por dinheiro, hoje em dia está preso por porte de drogas (no filme Lords of Dogtown diz que Jay está em condicional mais isso foi na época que o filme foi feito).

Fonte: http://sk8world.webnode.com.br/historias-de-skate/

Publicado em Influências | Deixe um comentário

O Skate no Brasil

História do Skate no Brasil

O skate chegou ao Brasil por volta de 1965. Os primeiros skates brasileiros eram feitos com rodinhas de patins ou de ferro. Não existiam regras, sendo no início considerado apenas como lazer e não como uma prática esportiva.

Em 1974 foi realizado o primeiro Campeonato Brasileiro de Skate. O evento foi disputado no Clube Federal do Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano foi inaugurada a primeira pista no Brasil.

Na década de 90, o skateboard realmente explodiu no Brasil. O número de praticantes cresceu vertiginosamente, bem como os eventos, a organização do esporte e a exposição na mídia.

A Confereração Brasileira de Skate (CBSk) é a entidade nacional que regula o esporte. A CBSk foi fundada em março de 1999 em Curitiba, Paraná, e hoje tem sede na cidade de São Paulo. Atualmente o Brasil é considerado como a segunda maior potência no skate mundial, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Circuito Brasileiro de Skate Profissional

O Circuito Brasileiro de Skate Profissional foi inaugurado em 1989 na categoria street style, cujo vencedor foi o Paulistano Rui Muleque e realizado pela UBS (União Brasileira de Skate). A disputa conta, hoje, com provas passando por estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Brasília, realizadas pela CBSk (Confederação Brasileira de Skate).

  • No ano de 1995 Digo Menezes conquista o primeiro título mundial de vertical para o Brasil.
  • Em março de 1999 foi fundada em Curitiba a CBSk Confederação Brasileira de Skate, a entidade que regulamenta as normas e políticas voltadas ao desenvolvimento do skate (skateboard) no território brasileiro.

No ano 2000, é fundada em São Paulo a Associação Brasileira de Skate Feminino, por skatistas femininas, seu primeiro circuito ocorreu em 2005. Hoje a associação é filiada a CBSK.

Em 2001, Og de Souza, um skatista que em sua infância sofreu de poliomielite, foi citado nas revistas Tribo Skate, CemporcentoSKATE, entre outras. Em 2001 ganha o campeonato profissional no Best Trick (se deriva da palavra que vem do inglês) mesmo que melhor manobra.

Em 2008 e 2009, a ‘Mega Rampa” chega ao Brasil,onde foi montando no Sambódromo do Anhembi pelo skatista dos anos 80 George Rotatori. Na segunda edição(2009), Bob Burniquist consagrou-se Bicampeão do evento.

Mega Rampa SP 2009

Bob Burnquist - Foto: Theohand

Fontes:
http://esporte.hsw.uol.com.br/skateboarding6.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Skate

Janaina Gorski

Publicado em História do Skate | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A lenda chamada Tony Hawk

Anthony Frank Hawk ou simplesmente Tony Hawk é considerado o maior skatista de todos os tempos na modalidade Vertical. Nascido em 12 de maio de 1968 em San Diego, na Califórnia, Tony Hawk possui uma habilidade e uma velocidade para manobras fora do comum. Desde sua infância Tony Hawk já se destacava nas competições e aos 14 anos se tornou profissional.

Grande parte de seu sucesso deve-se ao seu pai que construiu o seu próprio Halfpipe em sua casa. Hoje Tony Hawk é detentor de 12 campeonatos mundiais na modalidade Vertical, 8 X-Games e 3 campeonatos mundiais de Street Style.

Tony que também conhecido como “Birdman” ou “Homem-pássro”, no X-Games de 1999 realizou uma manobra que marcou sua carreira. Após 11 tentativas frustradas, ele realizou um giro de 900 graus pela primeira vez em sua carreira, ganhando o premio de melhor manobra da competição.

Tony Hawk em ação nos X-Games.

Hawk também ficou muito conhecido por sua criatividade em criar manobras. A manobra mais conhecida que Hawk criou foi a Mc Hawk, que consiste em dar 2 voltas de 360 graus completando um 720 graus.

Tony Hawk’s Pro Skater    Todo esse sucesso fez com que no mesmo de 1999, a empresa Activision criasse o jogo Tony Hawk’s Pro Skater, após a o lançamento o jogo fez um sucesso incrível dando origem a mais 6 jogos de sucesso igualmente incrível principalmente entre os jovens. Hoje em dia dificilmente encontraremos um jovem que nunca tenha jogado ou pelo menos conheça um dos jogos dessa serie que marcou época.

Além do sucesso dentro das pistas Tony também já participou de vários filmes, o mais conhecido deles foi “The Search For Animal Chin”. O sucesso de Tony chegou também a outras áreas, lançando sua autobiografia, ”Hawk – Occupation: Skateboarder” que foi inclusive muito elogiado por um dos jornais mais influentes do mundo o “New York Times”. Criou também o Tony Hawk’s Gigantic Skatepark Tour” torneio com transmissão da ESPN, que é só tem a audiência superada pelo X-Games.

Após todo esse sucesso que o skate lhe proporcionou Tony decidiu de alguma forma ajudar a difundir o skate e ao mesmo tempo ajudar comunidades carentes fundando a “Tony Hawk Foudation”. A fundação foi criada com intuito de financiar pistas de skates em comunidades carentes dos Estados Unidos. A fundação já disponibilizou quase três milhões de dólares para construção de pistas de skate por todo pais.

Tony Hawk é uma lenda viva do skate e mostra como o esporte pode mudar a vida de uma pessoa. Como o próprio Tony diz, ele não se imagina fazendo outra vida na vida que não seja andar de skate.

Tony Hawk: o maior skatista de todos os tempos.

           “Estou muito feliz com o rumo que a minha vida tomou, assim como o próprio desporto. Eu não me imaginaria a seguir outra carreira sem ser a de skater profissional.” – Tony Hawk.

Nesse post procuramos mostrar um pouco sobre um dos maiores astros do skate mundial de todos os tempos. Tony Hawk, hoje, além de um campeão conhecido no mundo todo serve também como inspiração para jovens skatistas do mundo todo.

Lucas de Toledo

Publicado em Influências | Marcado com , , , | 3 Comentários

Conhecendo a tribo de perto

Para conhecer um pouco mais sobre a tribo dos skatistas e onde eles se reúnem para praticar o esporte, no sábado (07/5), visitamos o Parque da Idependência, no Ipiranga, em São Paulo – ponto de encontro já conhecido não apenas por pessoas que fazem suas caminhadas e famílias que o utilizam como programa de final de semana, mas também pelos skatistas, que se encontram, a partir das 5h da manhã, em uma ladeira que parece já construída justamente para a prática do skate.

Foto: Gabriel Landi

Chegando ao local onde eles se reúnem, pudemos notar a grande diversidade de pessoas no grupo, onde se via crianças, homens, mulheres e famílias que andavam juntos de skate de maneira harmoniosa e muito agradável. Entrevistamos alguns dos skatistas e perguntamos sobre como o skate se tornou parte de suas vidas e como eles definiam esta tribo.

Rodrigo “Donha”, 32, gerente de qualidade e sustentabilidade de um laboratório ambiental, voltou a andar de skate após 15 anos parado, depois de ver seu filho praticar o esporte. A partir daí, passou a chamar amigos de infância, pessoas que encontrava na Avenida Paulista e até alguns pelo Facebook – todos praticantes deste esporte – para se reunirem e formar um grupo de skatistas que se encontrasse no Parque da Independência nos finais de semana.

Foto: Gabriel Landi

Parece que a ideia deu certo. Hoje o local já é um ponto de encontro conhecido dos skatistas, com direito até a um nome para o grupo, “SSS”, que, de acordo com Donha, criador do grupo, quer dizer “Sábado Sagrado Skate”. O grupo conta com mais de 35 membros.

Muitos deles, assim como Douglas, publicitário de 26 anos e Alexandre, 40, chefe de segurança da Caixa Econômica Federal, foram atraídos à prática do skate a partir do surfe. Ambos acabaram transferindo os movimentos e as técnicas que já utilizavam quando surfavam para a “prancha de rodas”. Douglas pratica a modalidade Wave board e Long board. Já Alexandre opta por um estilo Free style, dizendo estar buscando apenas pela diversão, para se desestressar da rotina do dia a dia, dos problemas e da tensão do trabalho.

A grande maioria dos entrevistados colocou como principais incentivadores para eles entrarem no mundo do skate os amigos, que indicaram o Parque da Independência como um bom lugar pare se conhecer skatistas e praticar o esporte.

Um desses incentivadores à prática deste esporte é Paulo Cezar, 42, microempresário, citado por outros dois skatistas entrevistados como seu grande incentivador. Paulo começou a andar de skate há 10 anos, por uma indicação de seu amigo. Praticava o surfe e acabou trazendo também para o skate sua experiência nas ondas, tendo início na modalidade Longboard, que se assemelha mais com o surfe.

Durante a entrevista com o microempresário, aconteceu um acidente com um skatista na ladeira. Na mesma hora, Paulo chamou os skatistas que estavam no local e foram ajudá-lo. Foi apenas um susto, mas pudemos notar o grande senso de companheirismo e amizade que envolve a tribo e a necessidade que eles sentem em sempre ajudar o outro.

Foto: Gabriel Landi

Esse foi outro ponto marcante que pudemos notar durante a manhã que passamos com os skatistas. Todos definiram a tribo como uma família, onde todos se ajudam e se apóiam.

Para Júnior, de 13 anos, no grupo de skatistas, todos sempre estão dispostos a ajudar. “Todo mundo é gente boa. Se estourou um rolamento do seu skate e você não tem nada, todos vão atrás procurar onde arranjar um. São todos irmãos”, diz o jovem. Júnior conheceu o grupo após a virada esportiva, quando começou a andar de skate no parque e a conhecer todos os outros, que passaram a lhe dar dicas e o ajudar na prática do Classic, a modalidade escolhida pelo garoto.

“Mimo”, um dos amigos do grupo, desce a ladeira de skate acompanhado por Donha, que está preparando um skate especial para ele, atendendo a todas as suas necessidades. O skatista pratica duas modalidades, o Downhill e o Street, andando de skate em diversos outros lugares, como na pista da Água Espraiada, na Sumaré, nos picos da Serra da Cantareira e em Alphaville, mas, principalmente, no Parque da Independência, já que se trata de um lugar sem circulação de carros e com uma decida não tão íngreme, como diz o próprio skatista.

"Mimo" andando no skate acompanhado de "Donha". Foto: Gabriel Landi

Foto: Gabriel Landi

O skate mudou muito desde o final dos anos 1980, começo dos anos 1990. A molecada que antes era skatista, hoje é pai. A visão da sociedade sobre o skatista mudou. Hoje você vê pessoas mais velhas andando de skate. Minha família gosta da ideia de eu voltar, já que era meu esporte favorito”, disse Donha.

Maria de Lurdes, 70, frequentadora do parque, vê a presença dos skatistas como algo muito positivo e um exemplo para as novas gerações, já que eles têm um convívio saudável e respeitoso com os outros usuários do parque e incentivam a prática do esporte. Ressaltou também que muitos deles trazem suas famílias e isso demonstra o clima harmonioso desse grupo.

Para finalizar esse post, achamos interessante colocar uma definição que ouvimos pela maioria dos skatistas entrevistados sobre sua tribo: “Skatistas são irmãos de pais diferentes, indiferente da modalidade que praticam”, definição dita por Donha e compartilhada pelos outros skatistas entrevistados.

Ricardo Augusto, um dos integrantes da equipe responsável pelo Tribo do Skate andando de skate na ladeira do Parque da Independência (Foto: Gabriel Landi)

Esperamos que este post tenha mostrado como é a realidade dessa tribo e desmistificado a imagem negativa que podia existir sobre esse grupo de pessoas que apenas se reúne para andar de skate e para se divertir entre amigos.

Gabriel Landi

Publicado em Reportagens | Marcado com , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Top 4 : Filmes de skate

Preparamos um “top 4” dos mais comentados filmes de skate, provando para todo mundo que skate e cinema são uma ótima combinação, para ninguém colocar defeito. Confira abaixo!

  • 4 lugar: Spin’ in wheels

Capa do Filme de 1975

Filmado em Dana Point Califórnia em 1975, com duração de 65 minutos todo em inglês  (sem legendas).
O Filme do diretor Chris Carmichael Prodution, desenhos (cartoons) de John Lamb.
Com os skaters Ty Page, Bruce Logan, Russ Howell, Gary Grace, Stave Cox, Kenny Neans e outros.
Você vai conferir: Campeonatos, pools, skateparks, tubos gigantes, slalom, skate race, freestyle, e uma ótima comparação com o surf e skate.
O filme mostra um outro lado do skate, do meio da década de 70, de uma galera que era mais “certinha”, fugindo do skate agressivo dos “Dog Town”.

  • 3 lugar: Skateboard

Filmado pela Universal Studios Your e Blun Group Prodution, na Califórnia, no ano de 1977. Com os atores principais Allen Garfield, e Kathllen Lloyd e Leif Garret. Os principais skaters que participam são Tony Alva e Helle’n Oneal.

  • 2 lugar: Skateboard king’s

Um Clássico “Cult”, o Skateboard King’s  de 1978 , um documentário de uma empresa cinematógrafica “The Word Aboout Us”. No com elenco os skaters Paul Contanteau, Jerry Valdez, S. Kubo, Bob Mohr, Ellen O’neil, Stacy Peralta e Tony Alva.
Mostra o cotidiano dos skaters americanos: skateparks, sessions, tubos gigantes do Arizona, piscinas, skateparks, fábricas de rodas e decks e até os bastidores na maior revista da época a Skateboard Magazine.

Link do filme no Youtube em 07 partes: 

http://br.youtube.com/watch?v=8Kp9qaZSQ4o

  • 1 lugar: Lords of dogtown

O filme “Reis de Dogtown (The Lords of Dogtown)” é um filme documentário de 2005, dirigido por Catherine Hardwicke, e que conta a história do skateboarding. O filme mostra como um grupo de jovens surfistas revolucionaram o skate nos anos 70, baseado no documentário Dogtown and Z-boys. Com muito sucesso, logo depois foi lançado o livro  “Behind the Secenes – Lords of dog town”, conta como que foi fazer o filme Dog Town and Z-boys. Com direção de Stacy Peralta, com atores principais: Emile Hissch (fez Jay Adans), Vitor Rasuk (fez Tony Alwa), Jonny Robinson (fez Stacy Peralta) muitas das tomadas de filmagens foram feitas nos lugares onde de fato aconteceu, e dirigidas pelos próprios (hoje, mais velhos) Z-Boys.

No ano de 2005, a Revista Veja (edição1927 de 19/10/2005) fez uma matéria sobre o filme na página 162.

Sem dúvida é o filme mais assistido, comentado e apreciado da galera que aprecia a verdadeira essência do skate, e claro para os cinéfolos que curtem uma boa direção e cenas incríves!

Fonte das imagens: Google imagens

Isadora Ribeiro

Publicado em Estilo | Deixe um comentário